Aniversário de 11 anos

Homenagem aos nossos fundadores

por Claudia Pucci Abrahão, mãe do 3º e 6º ano

Ê, semente boa que brota e que cresce!

Ê terra boa, que nutre e que ampara!


Hoje, a nossa Guayi agradece.

E nos lembra do tempo

em que tudo era anseio

Quando o que existia

era um somente um sonho.


Mas nunca só.

Dizíamos, naquela época, algo assim: “sonho que se sonha junto é realidade.”


E se nós criássemos uma escola? — alguém ousou perguntar.


Ouçam bem essas palavras.

Quantas pessoas já as disseram, mas foram levadas pelo vento?

Quantas pessoas, realmente,

Construíram?


E eis que aquelas primeiras mãos descortinaram o véu

Que separa o que a gente imagina

Daquilo que se manifesta.


— Faça-se Guayi! — E ela foi feita,

Vincando na terra o berço desse ninho.

Foi plantada a coragem e a permanência

Onde, antes, só havia desejo e ímpeto.


E o que tanto animava

As tantas mãos que realizavam?

A vontade?

A necessidade?

(Também.)

Mas foi o fazer junto que fez de tudo possível.


Também tivemos apoios. Preciosos apoios...


Assim como uma pequena chama que precisa de gentil fogueira,

Para que não se perca o espírito,

Tivemos nosso primeiro solo emprestado. O seio do nosso jardim.

Construímos, construímos, partindo do pouco que sabíamos

Do tanto que desconhecíamos

Começo de longa jornada.


Como tudo que cria carne, doeu.

Como tudo que pede colo, exigiu.


E esses primeiros pioneiros,

Atravessaram ano a ano,

Enquanto a chama subia, subia.

Mais alto, e mais alto.


Persistiram

De mãos dadas,

Em pulsos fortes.


Bem vivemos nesse ninho por um setênio,

Até quando já não nos cabia.

E agora? — nos perguntamos.

Como seguir sem solo?


(mas já sabíamos

que a terra se consolida

se ainda persiste o sonho

e dele, o caminhar)


Quando um vale de bambus nos acolheu

Foi bênção concedida, e também muito trabalho.

Muuuuuuito trabalho.

Voluntário suor, crescendo a cada dia.


Atravessamos desafios, resistências, tremores

Desistências, desatinos, entre nós, e do planeta

Mas, a cada novo dilema

Novos braços e corações surgiam.


Formada a primeira turma,

O espírito pioneiro se consolida.

Apruma, linda escola!

Atravessando silêncios e pandemias.


Com a bênção de Gaia, seguimos

Forjando a cada passo a força de nossa coragem

Tijolo a tijolo, descobrimos

Que escola não é só para os filhos.

Que as disciplinas também são nossas.

E os desafios, sempre eles,

Nossas provas do caminho.


Que hoje, com nosso espírito em comunhão,

Jamais nos esqueçamos das pessoas queridas que ancoraram o sonho.

Depositando, na pedra fundamental que nos sustenta,

A esperança de uma escola íntegra, para todas e todos, em comunhão com a terra e com o divino.


Com essa singela homenagem, agradecemos aos nossos fundadores,

que teceram essa realidade com firmeza e amor,

Para que possamos seguir construindo, nesse vale abençoado,

Uma longa e próspera história.


Que nossa semente boa

Tenha fome de floresta.

Que nossa brava gente

Tenha sede de vida e festa.


Feliz aniversário, querida Guayi!


Na imagem acima, comunidade reunida no dia 27 de março de 2022 - primeiro grande evento presencial desde o início da pandemia -, em comemoração aos 11 anos da Escola Waldorf Guayi. O texto foi declamado pela autora no momento da cerimônia para os pais fundadores e demais presentes neste dia.
29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo