Segredos entre o Homem e o Mundo

Atualizado: 23 de Nov de 2020


Depois de passados dias sol e de chuva, Cora imaginava que a qualquer momento o vovô iria trabalhar na terra. E foi assim mesmo. Logo cedo ele chamou: - Meninas, o vô vai começar a preparar tudo para trabalhar nos canteiros. Calcem suas galochas, prendam os cabelos e vamos à enxada. - Oba! – exclamou Cora animada! Ela amava plantar e cuidar da terra. Trabalhar com a enxada era sua parte preferida. Sabia levantar canteiros como ninguém e vovô já havia lhe mostrado como a terra fica macia e própria para trabalhar depois de um dia de chuva. Flora chegou curiosa em saber o que iriam plantar e também se haveria algum momento para colheita. “Tomara que hoje o trabalho seja no pomar. Assim podemos preparar geleia com a vovó depois!” – ela pensava consigo.

A pequena Celeste tinha as mãos ágeis e olhos de águia que sobrevoavam tudo rapidamente. Chegou lá fora já olhando para todos os lados e verificando o que precisava ser feito: - Olha só quanta vagem de feijão! Será que já está na hora de colher? O canteiro está com bastante matinho, né vovô... - Eu quero ajudar na limpeza do canteiro! Eu posso vô? – foi se oferecendo interessada Cristal. Ela gostava de ver tudo muito bem organizado e com olhar atento, não restaria nenhum matinho que não fosse convidado. - Muito bem, meninas. Hoje nosso trabalho será com os feijões. Celeste reparou muito bem. Está na hora da colheita. Vejam quantas vagens marrons, este é o sinal. Flora e Celeste, esta será a tarefa de vocês. Retirem as vagens e coloquem na cesta. Depois, vamos dividir a colheita em três partes. Com as vagens verdes que encontrarmos a vovó vai preparar uma salada bem fresquinha. Das vagens marrons vamos retirar os feijões para cozinhar para o almoço. A terceira parte da colheita nós iremos usar para um novo plantio. Cristal, riqueza, os feijões guandu lhe agradecerão pela limpeza que fará na casa deles.